CENTRAL DE VEÍCULOS/CONTROLE DE FROTA

Tema da mais alta relevância para Pinhão, é do Controle de Frota ou Central de Veículos, que inclusive  constou expressamente no Programa de Governo, de quem hoje está no Poder. E o Controle de Frota, até teve início implementação, com numeração de veículos, designação de encarregado com telefone 8432-8466, mas há ainda muitos problemas operacionais, informações e denúncias de abusos.

Há já algum tempo o controle de consumo de combustíveis que é feito por informações prestadas ao Tribunal de Contas do Paraná, e em que se verifica quilometragem rodada e a média de consumo por km, o que dificulta desvios, e faz com que o setor público tenha controle e odômetros funcionando.

Mesmo assim temos  em até tímido e discreto processo fiscalizatório, constatado problemas, que escapam desse controle, e que entram na seara do patrimonialismo, outras irregularidades e abusos praticados por alguns.

Entre outras coisas que chegaram ao conhecimento da Câmara e Vereadores nos últimos tempos, e para dar uma ideia da problemática fica aqui registrado alguns casos: 1)- veículo com agente político em Faculdade na cidade de Guarapuava; 2)- veículo público que foi levar gente de Pinhão para um encontro de amigos e “pelada” em  Correia Pinto-SC; 3)- denúncia na rede social Reclama Pinhão, por um funcionário da Prefeitura, de que viu na madrugada do dia 8/6/16, um pessoal com facões e foices embargando num microônibus da Secretaria de Saúde para irem fazer um protesto em Curitiba, e que num primeiro momento chegou a pensar que se tratava de alguma invasão ou protesto de gente ligada ou não ao Movimento dos Sem Terras-MST; 4)- informes de ocupantes de cargos em comissão, estarem dirigindo veículos e talvez até sem habilitação adequada, e no lugar de motoristas de carreira; 5)- o trágico acidente com morte e de Blazer da Secretaria de Agricultura, destruída, na Serra da Dona Francisca em SC, e que está um jogo de empurra, e envolto em  enrolação e trevas; 6)- Toyota da Prefeitura levando particular privilegiado para o interior em prática patrimonialista ou eleitoreira (de politicalha) de alguma pré-candidatura da situação; 7)- utilitários irem levar pessoal para algum evento no interior, e voltarem para sede, para retornarem a tarde pegar de volta os conduzidos, num verdadeiro atentado aos princípios da eficácia, eficiência e efetividade, para não dizer “fim da rosca”, “pouca vergonha”, lambança, desperdícios; 8)- informe de pagamento de “propinas” para serviços em propriedades rurais particulares, fora do Programa “Porteira Adentro”.

Já fizemos abordagens sobre esse tema em várias das nossas já 438 crônicas, de 1997 para cá neste hoje Semanário, mas os problemas e mal persistem. E muitos não estão nem aí com nada, e no deslumbramento do poder, e sem qualquer preocupação com: imagem, ética, virtudes, princípios comezinhos de administração pública e valores positivos do gênero, fazem até pose para fotos com veículos e utilitários públicos com ou sem emblemas, e quando questionados vem com desculpas esfarrapadas, nivelamentos por baixo, e só falta a ousadia e petulância de dizerem: “enquanto os cães ladram, a caravana passa”.

E infelizmente esses males não ocorrem só em Pinhão. Na manhã do dia 13/6/16, ouvimos no Bom Dia Paraná, da RPC, notícia de um acidente de uma patrola de Juranda, que com um operador bêbado que causou um acidente, ao atravessar uma pista, quando iria fazer um serviço particular em Campina da Lagoa.

Apesar disso tudo, não podemos nos abalar, esmorecer, amolecer o garrão. E não está morto quem peleia, nem que seja “legítima defesa” ou algo do gênero, só com o cabo do facão, e isso tudo sem qualquer estímulo a violência ou agressividade.

(Francisco Carlos Caldas, advogado, vereador, CIDADÃO pinhãoense)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 5 =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: