Capa e Editorial da Edição nº:885

É carnaval…

Chegaram os três dias de folia, três dias nos lugares mais tranqüilos, pois em muitos estados e cidades a festa é de cinco a sete dias. O carnaval é um momento de descontração, de deixar a vida levar, de muita folia e pouquíssima preocupação, ou, deveria ser.

Mas hoje,  por si só, já gera uma série de polêmicas entre se deveria ou não existir, se deveria ou não ser investido dinheiro público nele. Os estados do sul, que são mais conservadores, não veem nenhuma vantagem, muitos sulistas consideram apenas um período de muita malandragem, bebedeira e sem-vergonhice.

Já nas cidades que ele acontece, é para muitas pessoas um período de muito trabalho, pois como é considerada uma das maiores festas populares do mundo, atrai muitos turistas do exterior. Os donos de hotéis das cidades que acontecem os grandes carnavais têm uma visão bem diferente dos que combatem o carnaval.

O curioso é que quem combate o carnaval, não é contra os dias de folga, mas contra a folia…Isso é no mínimo curioso. Essas são questões políticas e econômicas que os foliões não  dão a mínima. Contudo, quem vai para a folia não pode mais ir assim, tão livre e descontraído, é preciso se preocupar com a AIDS, com a carteira e o celular, pois os ladrões ficam em plena atividade nessa época.

Os foliões que pensam em dar uma fugidinha, sair da rotina do casamento e namoro, é preciso ser muito esperto, pois hoje os celulares filmam tudo e todos e as redes sociais colocam todo mundo em evidencia, assim, todo cuidado ainda será pouco, podem ter certeza. Carnaval é sempre sinônimo de folia e safadeza.

O carnaval é o período do pode tudo, onde as pessoas soltam suas fantasias e taras, onde o senso de ridículo e o bom senso tiram férias. Mas, curiosamente, é tido como um dia de muita alegria, inclusive é comum se ouvir a frase: vem pro carnaval, vem viver a alegria, vem ser feliz.

Bem, isso faz com que uma reflexão venha à tona, o que é alegria e felicidade? Será que prazer só se tem no sexo sem limite? Se o carnaval dura em média cinco dias, quer dizer que só é possível ser feliz cinco dias no ano? Nos outros trezentos e sessenta como ficam? Bem, em Pinhão o carnaval tem outra proposta, que não foi planejada organizada, mas que aconteceu.

Mais de oitocentas pessoas vão estar no município, aproveitando o feriado de carnaval para refletir, pensar no seu agir com o próximo e sobre a proposta de Deus para os homens, como dizem eles, buscando a verdadeira alegria, a alegria que dura mais que um ano, dura a vida toda. Vão fazer isso sem muito barulho, mas, pelo que se nota, com muita alegria e diversão.

Numa coisa todos tem que concordar, é que no carnaval há um bom tempo disponível para as pessoas aproveitarem e decidirem o que fazer. Cada um decide como quer pular ou passar o seu carnaval, o conselho que deixamos é: seja a escolha que fizer é preciso lembrar que ela trará conseqüências, então, antes de cair na folia, pergunte-se se está pronto para agüentar depois do carnaval as conseqüências que virão, porque elas virão,  e algumas podem vir para ficar para sempre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze + 15 =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: