Capa e Editorial da Edição nº: 872

CONSCIÊNCIA

Se for feita uma busca no dicionário ou perguntado ao gênio Google, consciência é a percepção que o ser humano possuido que é moralmente certo ou errado em atos e motivos individuais. Assim, a consciência é o que de mais íntimo o ser humano tem.

Ela é o que de fato diferencia os seres humanos dos demais animais, pois só o homem tem consciência de si, sabe quem é e o que quer. Então a definição diz que, a consciência define os atos e motivos individuais. A sociedade na verdade é o encontro de várias consciências, ou seja, são os atos individuais que vão dando os contornos do formato que a sociedade vai adquirindo.

Ter consciência do que, como e porque se faz é essencial. Até porque todas as decisões, escolhas e até omissões de cada um, querendo ou não vai interferir na vida de muitas pessoas, no coletivo da sociedade. O apóstolo Paulo em Coríntios já afirmava “Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém”. 

Por que Paulo chama atenção para isso? Porque a rigor, as escolhas pessoais interferem na vida do outro e certas coisas, mesmo que legais ou permitidas, podem vir a prejudicar os outros. Por exemplo, quando alguém define que para o seu conforto e bem estar é melhor deixar o seu veiculo parado durante quatro horas em frente a um comércio, onde as vagas de estacionamento são muito disputadas, conscientemente está colocando o seu bem estar acima de pelo menos umas quinze pessoas, pois seu veículo impedirá que pelos menos mais dez pessoas possam estacionar ali e façam suas compras.

Lembrando que legal é pode fazer isso. Contudo, algumas vezes, por não encontrar lugar para estacionar, as pessoas desistem de comprar e ai o prejuízo é dos comerciantes e dos seus colaboradores que verão respectivamente seus lucros e comissões diminuírem.Assim, um ato simples e até banal, mas centrado no bem estar individual, pode prejudicar pessoas diversas.

Além da consciência individual é preciso se desenvolver a consciência coletiva, aquela que pesa o bem estar de cada um em relação ao todo, pois nem tudo que é permitido é conveniente e saudável para acomunidade.

Mas, se vai prevalecer o bem pessoal em detrimento ao bem coletivo,é ironicamente uma escolha da consciência de cada um, o que não dá é pra depois ficar reclamando que a sociedade é muito egoísta e mesquinha, pois a sociedade é só o reflexo das várias consciências individuais que nela convivem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 1 =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: