Capa da Edição nº 755 e Editorial

Editorial

Casamento da Esperança

            Neste fim de semana, a tradição das festas julinas vai marcar presença na Reserva do Iguaçu, a Esperança se casa com o Pedro Siqueira, em um casamento tipicamente interiorano. E como a esperança sempre inspira, vamos aqui falar de umas esperanças que esperamos (rsrsrs, quem tem esperança sempre espera), se tornem realidades. A começar pelo casamento, que marca e com muita simbologia, o próximo final de semana. Já que a esperança faz parte da vida e de uma forma muito especial da vida do brasileiro. Na própria ideia da festa e da união das escolas, está a esperanças das pessoas verem que todos, sem exceção, têm potencialidades e são capazes de muito e que em qualquer situação a união sempre será o melhor caminho. Que com o delegado novo as coisas caminhem mais rápidas e eficientes. Por outro lado, o delegado espera que a boa acolhida e conversa com as entidades e poder público logo na chegada se tornem ações concretas. E todos esperam que a discussão sobre segurança pública dessa vez se torne algo mais continuo e concreto e não apenas barulho porque “alguns” foram atingidos. Esperança que realmente as novas instalações do Lar do Idoso dê mais qualidade de vida aos idosos que lá vivem. Mas na torcida maior ainda e com a esperança redobrada que as famílias abracem seus idosos, cuidem deles e que cada vez mais sobre espaço no Lar dos Idosos. Mas a esperança não é só desejo, ela vai aos poucos se tornando realidade, claro que, por vezes a esperança teve que trabalhar por mais de vinte anos, como é o caso do asfalto da PR459. Que neste caso em especial a esperança fez uma união com muitos – com a população, com lideranças e deu a mão fortemente com a imprensa para que essa pressionasse, cobrasse e até provocasse os brios dos políticos. E o importante é que o resultado esta aí, a pavimentação sendo realizada e com qualidade. Bem, é ano de eleições e ele traz à tona com toda força a senhora esperança. Por um lado os políticos cheios de esperanças primeiro de conseguir realizar a maior coligação possível e o que conta aqui é número, aquela coisinha chamada ideologia e jeito de governar e olhar a população e suas prioridades é mero detalhe. Esperança maior ainda que consigam seduzir a população. Por outro lado a esperança do povo que pelo menos nesse período as coisas melhorem e que a próxima administração de fato se comprometa em governar pelo e para o povo. Bem, aqui é preciso que a esperança abrace e de forma muito significativa com o bom senso, responsabilidade e consciência dos eleitores, porque em questão dos políticos até a esperança já anda meio desesperançosa …

Faça seu comentário

%d blogueiros gostam disto: