cadastramento de rebanho

Produtores rurais que possuem animais de produção ou trabalho precisam cumprir o procedimento obrigatoriamente. Confira como proceder

Redação Fatos do Iguaçu com Sistema Faep

Os produtores rurais do Paraná precisam fazer a atualização de rebanhos junto à Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar). O procedimento vale para todas as espécies criadas com algum fim comercial, como bovinos, bufalinos, cabras, ovelhas, suínos, cavalos, jumentos, mulas, galinhas, peixes, além de caixas de abelhas. O prazo vai de 1º de maio a 30 de junho e não há custo para ser feito. O trâmite pode ser cumprido pelo site ou presencialmente (confira em Serviço).

O principal objetivo dessa atualização, realizada anualmente desde 2019, é garantir a rastreabilidade e a sanidade do rebanho paranaense. A exigência do cadastro foi implantada como parte das ações que substituem a vacinação obrigatória de bovinos e bufalinos contra febre aftosa. A Instrução Normativa 47, da Adapar, previu a suspensão da vacina para esses dois grupos de animais, que acontecia em duas fases anualmente.

Segundo Nicolle Wilswek, técnica do Departamento Técnico e Econômico (DTE) Do Sistema FAEP/SENAR-PR, o engajamento dos produtores rurais é fundamental para garantir um sistema sanitário robusto no Estado. “Somente com os dados atualizados, as autoridades sanitárias têm a possibilidade de verificar como se dá a dinâmica de movimentação animal no Paraná. Em qualquer eventual emergência, como a disseminação de uma doença específica, isso [o cadastro] confere agilidade a medidas efetivas que precisam ser tomadas para frear e isolar a transmissão”, exemplifica.

Com a retirada da vacina, a Adapar substituiu a comprovação da vacinação pela campanha de atualização de rebanhos, para assegurar o controle sanitário no Estado por outros meios. Por isso, o procedimento é obrigatório e fundamental, ainda mais neste momento em que o Paraná será reconhecido como área livre de febre aftosa sem vacinação pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), no próximo mês de maio.

Além de precisar ser feita por se tratar de uma medida de segurança para o próprio setor, quem não atualizar o cadastro está sujeito a algumas penalidades. A primeira delas é o fato de não conseguir movimentar os animais, pelo bloqueio sistêmico da emissão da Guia de Trânsito Animal (GTA), o que inviabiliza a atividade econômica dos pecuaristas. Outra é a possibilidade de multa.

Serviço

A atualização do rebanho pode ser feita no site www.produtor.adapar.pr.gov.br/comprovacaorebanho. Também é possível fazer o procedimento pessoalmente em uma unidade local da Adapar, em um escritório de atendimento municipal autorizado ou em um sindicato rural autorizado.

LEIA TAMBÉM:

Plugfield: tecnologia nacional para o campo

Observatório lança questionário sobre erva-mate

Agrária lidera pool de cooperativas que vão investir R$ 1,5 bilhão em fábrica de malte

 

 


Compartilhe

Veja mais