A tragédia de Brumadinho e as nossas perdas

A comoção em torno da tragédia de Brumadinho alcançou o mundo. Nas conversas do dia a dia, nas redes sociais, muitos se solidarizam com a dor da perda dos familiares e amigos que vivem dias angustiantes. Em meio a tudo isso, existem aqueles que são “sem noção”, aproveitando esta tragédia, para defender seu partido, e para criticar o outro, fazendo uma oposição burra e inútil, num momento de dor como este.

Mas o meu foco aqui, são as famílias que estão enlutadas; aquele filho, esposa, mãe, pai, que naquela noite, foram dormir sem a companhia de um ou mais membros de sua família.  É difícil lidar com a dor da perda e quem já passou por isso sabe como é desafiador continuar a caminhada sem a companhia de alguém querido que já se foi.

O que traz força, consolo, em momentos de dor, é sim receber o abraço, o cuidado, das pessoas. É revigorante ver tanta solidariedade. As indenizações, os processos, os ressarcimentos são importantes, vão ajudar, mas não vão trazer de volta, aqueles que já se foram (que a justiça faça seu papel).

As lembranças deste fato não se apagam com o decorrer dos dias, mas o que deve ficar de fato na mente e coração dos familiares é a saudade, a lembrança dos bons momentos, daqueles que partiram. Já enfrentei perdas na caminhada e sei que muitos leitores também, e é difícil sim continuar a caminhada, mas pela força e consolo do Eterno Deus, pelo amor daqueles que estão conosco, a vida continua.

É complicado pensar que no decorrer da nossa história vamos enfrentar perdas, situações difíceis, coisas que não gostaríamos de passar. Por isso se faz necessário, cuidarmos daqueles que nos cercam, investir nos relacionamentos, aproveitar ao máximo os momentos juntos. Não deixe para falar depois o que você pode falar hoje.

Não deixe que a mágoa, o rancor te afaste daqueles que te cercam. Invista na sua família, valorize as conversas, o brincar com os filhos e tudo mais. Que o Eterno Deus traga o consolo e o conforto aos familiares enlutados de Brumadinho, e é claro as famílias de nosso contexto que, as vezes tem que lidar com a dor da perda também.

Rev Sandro  Carvalho Rodrigues pastor da Igreja Presbiteriana do Pinhão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + 2 =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: