A melhor Erva-mate está no Pinhão

1º Painel Técnico sobre a Erva-mate acontece dia 11/08

Na região sul do Brasil, a erva-mate é um produto que faz parte do hábito alimentar de grande parte das famílias e da própria cultura das pessoas, pois é muito comum o chimarrão, no sul não se oferece um cafézinho para as visitas, mas um chimarrão, além de ser fonte de renda para os agricultores.  A quantidade de erva-mate extrativa cresceu 1,7% em relação a 2015, com 346,9 mil t. produzidas em 2016. Além dos três estados da região Sul, apenas o Mato Grosso do Sul produziu em 2016. O Paraná é o maior produtor, com 86,4% do total nacional. Com exceção de Chapecó (SC) e Fontoura Xavier (RS), os demais municípios produtores são paranaenses, com destaque para São Mateus do Sul, Cruz Machado e Bituruna.

PINHÃO

É difícil encontrar um pinhãoense que não tome chimarrão ou que venha de uma família que não tem o hábito de manhã ou à tarde se juntar para tomar um bom chimarrão.

As pesquisas mostram que o município de Pinhão tem um dos poucos biomas do sul do Brasil com ervais nativos, chamados de faxinas, proporcionando assim um produto extraordinário. 

Mesmo sendo o município que tem a melhor erva-mate, não aparece nos dados oficiais como uma fonte de renda, nas pesquisas sobre os municípios que a produzem, Pinhão sequer aparece.

Porém, Pinhão vende muita erva-mate, só ainda não está sabendo tirar o verdadeiro proveito que o produto pode trazer para todos no município, explicou Beraldo.

UMA PROVOCAÇÃO

Compreendendo que a erva faz parte da cultura pinhãoense, é uma planta nativa e que ela é fonte de renda de muitas pessoas no município, mas que poderia gerar bem mais lucros para os agricultores e para os cofres públicos, o vice-prefeito Beraldo Amaral,(MDB) resolveu encampar a luta pela organização e agregação de valor no extrativismo. “Queremos realizar um despertar nas pessoas para a importância da erva-mate nas nossas vidas, ela é natural daqui e faz parte da nossa cultura e economia”.

Com o painel, querem abrir discussões sobre a erva-mate e uma provocação para quem tem na sua propriedade, para quem planta, extrai, é tarefeiro, produz ou simplesmente toma o chimarrão, do quanto usufruir desse produto nativo e de tão boa qualidade que o Pinhão tem. “A ideia é ampliar a discussão sobre ter ervais certificados, começar a pensar forma de organizar da produção à venda da erva-mate, inclusive agregando valor a ela e sua produção” explicou Beraldo.

Ele lembra que às vezes as pessoas derrubam os pés da planta para plantar eucalipto quando podiam aproveitar muito desses pés para melhorar a economia das pessoas e do município. “A erva-mate faz parte da historia da nossa vida e temos a melhor erva-mate do mundo, precisamos aprender a aproveitar, a tirar proveito disso economicamente e a vê-la inclusive como uma proteção ao meio ambiente” declarou o vice-prefeito

ALÉM DAS FRONTEIRAS

No Paraná, São Mateus do Sul se destaca como maior produtor com 63.000 toneladas, Cruz Machado aparece com a segunda maior produção, com 32.800 toneladas, e General Carneiro com 26.560 toneladas,dados de 2015 do IBGE.

Hoje a erva-mate faz parte dos produtos que são exportados pelo Brasil, no mês de maio de 2015, totalizou 3.330.912 Kg rendendo US$7.379.100,00 ao mercado Brasileiro.

Além dos países da América latina, mais de dez países a compram, entre eles, Estados Unidos, Japão, Alemanha, Itália, França e Holanda.

Como lembra Beraldo, a erva-mate tem uma utilização hoje que vai bem além da produção para o chimarrão. E ai tem para tereré, chá mate, chás, refrigerantes, cervejas, isotônicos, produtos de higiene e beleza, produtos culinários que a utilizam já estão disponíveis no mercado.”Isso sem falar nos outros produtos que ela gera como a cuia e a bomba para se tomar o chimarrão, assim, é possível fazer da erva-mate um excelente produto de geração de emprego e de renda” declarou o vice prefeito.

1º Painel Técnico sobre a Erva-mate acontece dia 11/08

“Com o Painel, temos a expectativa de criar uma vontade nas pessoas de refletir, pensar sobre a erva-mate e todas as suas possibilidades, é uma provocação para que as pessoas percebam que ela pode ser muito sustentável” declarou Beraldo

O 1º Painel Técnico sobre a Erva Mate vai acontecer na parte da manhã do sábado, 11 de agosto, no CTG.

Ele vai contar com a participação do engenheiro agrônomo da Emater, Jairo Macedo, que vai falar sobre As Vantagens Geográficasda Região Central do Paraná para a Cultura da  Erva-mate, do professor doutor Luciano Farinha Watzlawick da Unicentro/Cedeteg, que vai explanar sobre A Erva-mate e Seu Ambiente Natural, o professor doutorando, Luiz Carlos Zerbilelli, da Faculdade Campo Real, que vai palestrar sobre Práticas Culturais Para o Manejo e Aumento da Produtividade dos Ervais e terá também a participação do engenheiro agrônomo Amauri Ferreira Pinto da Emater, coordenador do Programa Estadual de Produção Vegetal, que vai contar como está  Situação e as Perspectivas do Mercado da Erva-mate na Região Central do Paraná

CONVITE

Beraldo diz que o convite é aberto a todos que desejam discutir, pensar e refletir sobre a erva-mate e todas suas possibilidades e também lembra que a ideia é ir ampliando a rede de parceiros para tornar essa provocação de reflexão em ações concretas que levem a seu melhor aproveitamento no Pinhão. “Convidamos todos que, de uma maneira ou outra, lidam com a erva -mate no município e mesmo na região que venham participar e contribuir com essa reflexão sobre a erva-mate. Estamos buscando parceiros que queiram abraçar essa causa, já temos muita gente envolvida, a prefeitura, a Unicentro, a Emater, a ACIAP, vamos dialogar com todos os órgãos do estado que estão ligados à questão e estamos abertos a quem quiser vir empunhar essa bandeira” reafirmou Beraldo

Ele terminou contando que em setembro será realizada no município a Festa do Chimarrão.

Vice-prefeito Beraldo Amaral,(MDB) | Foto: Naor Coelho/Fatos do Iguaçu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − 8 =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: