Por Dominique Acirema S. de Oliveira 

Nosso verde e amarelo país vem sendo vilipendiado aqui e nos estrangeiros. Se bem que nossa ignorância sobre os mais básicos conceitos permite que soframos tais ataques e isso tudo regado a muito champanhe e caviar.

Nosso povo o qual é o elemento humano do Estado e que deveria manter um vínculo jurídico-político sofre de um mal, de uma moléstia que o impede de perceber essa usurpação a qual estamos sofrendo, mas qual seria essa patologia? E mais, quais os resultados desse nosso descaso? Meu palpite é o acomodamento fático contemporâneo, em outras palavras e ais quais já foram sabiamente proferidas: “pão e circo!” Repito ainda: “mais quais são as palavras que nunca foram ditas?”

Entretanto a maioria não sabe e nem ao menos se incomoda em saber sobre nossa história e forma de constituição, do outro lado aqueles que são os intrépidos defensores de capa preta alteram indiscriminadamente nossa forma e sistema de governo como se não houvesse amanhã.

Ora fazemos grandes levantes em prol da tão falada “democracia”, mas do outro lado a maioria não faz a diferenciação entre os poderes que “nos representam”.

Por esses dias declarações aqui e acolá sobre um novo sistema de governo foram inflamadas pela mídia, num primeiro momento não faço um juízo de valor a respeito, porém o que me incomoda é o fato da maioria da nossa população não diferenciar os mais básicos conceitos de civilização e sua caminhada na história.

Fazendo um pequeno adendo aqui, recordo de uma declaração que li nas redes socias de um de meus “amigos virtuais” o qual em seu post dizia: “Depois de muita leitura decidi ser ateu!”. Da minha parte tudo bem, cada um pode ser e acreditar no que quiser, Power Ranger, Caçador de Pokémon, matador de onça… Entretanto, fiz algumas ponderações, as quais são pertinentes ao caso: você resolveu as cinco vias do Santo Tomás, as quais estão em sua suma? Qual é sua solução para o argumento ontológico de Santo Anselmo, presente na obra Proslogion? E se isso ainda não é suficiente o que dizer da lei da biogêneses? Ciência meus caros, ciência.

Voltando ao tema, o apêndice acima dito é o motriz da fé racional, como podemos escolher algo se nem ao menos resolvemos situações que outros iguais a nos propuseram? Em outras palavras, não temos idade sociológica para atestar sistemas de governo nem mesmo resolver os argumentos propostos.

Para o segundo e com malabarismos da metalinguagem tentamos de forma infrutífera resolver e quando não conseguimos apenas atestamos nossa ignorância com a negação da verdade universal pelo relativismo contemporâneo. No segundo e alimentado por crises políticas e o recente impeachment apenas decidimos que esse sistema de governo precisa ser revisto, retomo: não estou fazendo juízo de valor, afirmando que esse ou aquele sistema é melhor, mas sei que a subjetividade humana e o seu grande número não ficarão satisfeitos nem com isso nem com aquilo, como diria Fernando Pessoa.

As declarações as quais disse no começo fazem menção ao semipresidencialismo, um sistema de governo que volta e meia é trazido à tona. E como disse a maioria de nós não saberia diferenciar de forma satisfatória o que é um e o que é outra, a maioria de nós não leu uma página da Suma Teológica, a maioria de nós nunca leu uma obra sobre política, mas todos nós somos suficientemente capazes de discursar em nossas mídias sociais.

Assumo minha falta de criatividade e utilizo um meme das mesmas redes sociais utilizadas para demonstrar nossa sapiência: Sabe o que te falta rapaz? Humildade!

E é isso pessoal, somos suficientemente sábios para negar a pré existência de um Criador como também somos habilitados para definir um governo sobre nós seja humano ou não.

Agora peço licença porque está na hora de utilizar alguma ferramenta de pesquisa para achar o sentido da vida e mais algum meme divertido, porque a ignorância passou ao largo e logo após discutir política, estética, ética e moral.

PARA LER OUTROS ARTIGOS – CLIQUE AQUI

 

 


Compartilhe

Veja mais