A beleza de nossa cidade

Lembro-me da primeira vez que estive em Pinhão, deparei com uma simples e pequena placa apontando para a cidade (na primeira entrada para quem vem de Guarapuava). Confesso que estranhei a entrada da cidade (talvez esperasse algo do tipo – bem-vindo a capital dos gaiteiros, ou da erva mate, ou das usinas, ou das cachoeiras).

O fato é que, no meu caso, a primeira impressão não foi a que ficou, pois Deus me trouxe para cá a sete anos atrás e quando me perguntam como é o Pinhão, faço questão de falar bem, sem ignorar os problemas existentes, mas é bom viver aqui, e tenho esperança em Deus que pode e vai melhorar a cada dia. Conhecendo esse município, você percebe a riqueza e a beleza que tem, algumas, pouco exploradas e divulgadas.

Há pouco tempo atrás descobri que Pinhão é um dos grandes produtores de erva mate de qualidade. Outro fato interessante, é o grande número de belas cachoeiras no interior do município, além dos alagados que atraem pessoas de várias cidades, sem falar da Vila da Copel em Faxinal do Céu. Mas, e a nossa cidade? Creio que poderia ser mais bela. Quando afirmo isso, não estou falando de ter obras faraônicas, ou mais praças, e sim zelo, cuidado, melhorias para com o que já tem na cidade. 

Uma bela cidade começa com cada cidadão desempenhando seu papel e é claro uma gestão pública cumprindo com zelo a sua função.  As duas coisas precisam andar juntas. Imagine se cada cidadão cuidar bem de sua calçada, manter a frente de sua casa limpa, separar o lixo adequadamente, denunciar o vandalismo, cobrar o que deve ser cobrado das autoridades competentes, fazem bom uso das praças, sem deixar copos, garrafas, jogados no chão, certamente seria muito melhor e contribuiria para a beleza de nossa cidade.

O grande problema é que, infelizmente, muitos só pensam no seu próprio “umbigo”, construindo calçadas, não para os pedestres, mas para si mesmos, não respeitando os padrões existentes (tem lugares que parece corrida com obstáculos, desce, sobe). Outros reclamam do “mato” e da sujeira das ruas e praças, mas não tiram o “mato” de sua calçada, jogam o lixo de qualquer jeito na frente de sua casa (defendo que deve sim ser cobrado a limpeza das praças e ruas). Tudo isso, não contribui em nada, para a beleza de nossa cidade.

O belo não precisa ser suntuoso, pode ser simples. Alguns meses atrás, fui levar uma cesta básica para uma família, e chegando na frente de uma casa extremamente simples, observei a limpeza ao redor, no interior da mesma, uma parte de chão batido, parecia um piso, tudo limpinho, destoando das casas vizinhas.

A beleza de nossa cidade é responsabilidade sim daqueles que prometeram cuidar e governar com excelência, mas começa também com cada um de nós. Vamos juntos tornar a nossa cidade mais bela, não simplesmente divulgando os problemas, mas também divulgando que aqui é sim um belo lugar para se viver.

Há problemas sim, mas oremos para que o Eterno Deus abençoe cada família, cada cidadão, cobremos sim, para que juntos vejamos e vivamos em uma cidade cada vez mais bela. Eu estou e vou fazer a minha parte e você?

Rev. Sandro Carvalho Rodrigues pastor da Igreja Presbiteriana do Pinhão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − 10 =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: