Pinhão adere ao Programa Escola da Terra

Universidade Federal Fronteira Sul e Unicentro estarão trabalhando com uma formação voltada para as questões da terra com os professores do campo

Com o objetivo de ofertar capacitação especial e recursos didáticos a professores de escolas no campo e quilombolas, o Ministério da Educação e Cultura lançou em 2013 o programa Escola da Terra.  A ação integra o Programa Nacional de Educação do Campo (Pronacampo) e está sendo executada pelas secretarias municipais e estaduais de Educação, em parceria com instituições de ensino superior. A Universidade Federal Fronteira Sul ( UFFS) e a Unicentro fazem parte deste programa no Paraná.

A adesão de Pinhão aconteceu em 2016 e a primeira das cinco etapas de capacitação foi realizada dia 27 de abril no Salão da Igreja Matriz. Participaram da capacitação professores, pedagogos e diretores das escolas municipais de Pocinhos, todos os Santos, N. S. Rocio, São Roque, Norberto Serápio, Cipriano de Paula, João José Zattar, Nova Divinéia, XV de Novembro e dos municípios de Porto Vitória e Goioxim, totalizando cerca de 100 profissionais.

Desenvolvimento

A secretária de Educação e Cultura de Pinhão, Cida Chalegre, mencionou que é uma oportunidade impar para a Educação do município. “As nossas escolas são carentes  de formação direcionada e era um pedido  dos professores uma qualificação voltada para a realidade deles. Procurando atender esta solicitação, nos deparamos com a  UFFS, que nos apresentou  uma  proposta de trabalho com uma metodologia voltada à Escola do Campo. O conteúdo  veio de encontro com o desejo dos nossos professores e com a nossa perspectiva de atende-los da melhor forma possível com uma excelente qualidade. Este setor vai ficar muito bem contemplado com esta formação”

O programa é direcionado à Educação do Campo, a idéia é trabalhar em cima das características sociais e culturais que os alunos trazem, ou seja, o  seu  vínculo com a terra. Todo o planejamento e seus conteúdos são voltados para as questões da terra. Aulas teóricas serão ministradas pelos professores das Universidades  e aplicadas pelos professores em suas escolas. A comunidade toda estará envolvida, pois o programa preconiza a valorização da cultura local. “Sabemos que cada comunidade tem suas peculiaridades, muitas desconhecidas pela população, uma valorização de seus costumes, sua cultura e sua herança. É necessário  que se pense a comunidade como ela foi formada e sua identidade. O conteúdo a ser ministrado e o  material fornecido será voltado para cada comunidade, fortalecendo as escolas locais. Estaremos estimulando, instigando e acompanhando o professor a visualizar novas perspectivas no local onde leciona. Vamos dar uma atenção à parte pedagógica e estrutural  e os tutores estarão  visitando as escolas com  frequência para que tudo aconteça conforme o planejado”, destacou a secretária.

Êxodo Rural

Com este programa projeta-se que os jovens e as crianças não deixem o campo para procurar novas perspectivas de desenvolvimento pessoal e profissional em outros centros. Um problema histórico não somente em Pinhão, mas em todo o país. “Se a pessoa tem orgulho de onde mora, não terá o desejo de mudar, para isso, temos que conhecer nossa realidade. Em muitas ocasiões a cultura local, que  não é conhecida ou valorizada. Nesta perspectiva, acredito que a Escola é um currículo que tem a ver com a realidade deles, poderá mantê-los  em suas comunidades e  contribuir para o seu desenvolvimento.

POLO

Para uma melhor divisão dos encontros em todo o Estado, foi feita uma divisão e Pinhão se tornou um Polo para realizar estes encontros. E receberá professores dos municípios de Porto Vitória e Goioxim. Este programa é um projeto de extensão da UFFS, o custo será mínimo para o município, apenas  transporte e alimentação. Uma das novidades é que os professores contribuem com alimentos oriundos de suas localidades como parte da metodologia do programa, permitindo que todos também conheçam a produção agrícola de cada comunidade.

GREVE GERAL

A principio, a primeira etapa seria ministrada dias 27 e 28 de abril, porém com o advento da greve geral em todo o país, o segundo dia de formação foi  transferido para uma data posterior  e seu conteúdo reposto em breve. E os alunos também serão contemplados com uma carga horária especial para que não sejam prejudicados e cumpram a carga horária pré-estabelecida pela secretaria de Educação de Pinhão.e o  Programa Escola da Terra.

Os assuntos abordados são Educação do Campo: Movimentos sociais. Sujeitos, escola, cooperação e agroecologia. Escola do campo: relação escola e vida – conteúdos básicos estruturantes da área e sua vinculação com a vida. Práticas pedagógicas das áreas: Língua Portuguesa, Artes,  História e Geografia, Ciências, Matemática. E Práticas educativas, Oficinas; Práticas de agroecologia na escola, inventário da realidade, cartografia das comunidades camponesas e sujeito do campo, jogos cooperativos, mídia e prática pedagógica, biblioteca escolas, musicalização, museu, trabalho de campo.

DSCF8590 DSCF8591 DSCF8597 DSCF8600 DSCF8606 DSCF8631 DSCF8648

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 + oito =

%d blogueiros gostam disto: