O Futuro da Erva Mate

Por Vilfrid Kirschner*

O município de Pinhão tem um dos poucos biomas do sul do Brasil com ervais nativos, chamado de faxinas proporcionando assim um produto extraordinário.  Cabe ao poder público fazer o papel de divulgação através de seminários cursos e outros eventos.

Com novos produtos a base de Ilex, o mercado deve ficar aquecido. Porém com pontos altos e baixos de preço, um dos motivos é a chegada do período do frio na nossa região impulsionando o a elevação dos preços.  Já a indústria alega que não  consegue repassar preços ao consumidor final; ocasionando assim lucros menores em determinada época do ano . As exportações se estabilizaram depois de altos e baixos por vários motivos, alta oferta do produto gaucho, suspeita de metais pesados que não foi comprovado e principalmente o momento econômico mundial .

De outro lado o consumo de subprodutos  da erva mate vem impulsionando novas indústrias e novos mercados para a mesma com alto investimento em marketing.  Então se o mercado continuar assim teremos renda garantida nos próximos meses; e vale lembrar que a qualidade de nosso produto tem qualidade e competitividade graças ao aperfeiçoamento do pequeno empresário do campo com ajuda de órgãos públicos como Emater e EMBRAPA.

Até a próxima

*Agricultor e membro da comissão organizadora para o desenvolvimento e aperfeiçoamento da cultura da erva mate de Cruz Machado PR  . ( CODACEM )

Receba nossas atualizações

Inscreva-se e logo estará recebendo nossas atualizações

I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )

O seu email está 100% seguro. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis + oito =

%d blogueiros gostam disto: