Ganha perde

Vivi170417.jpg

Imagem ilustrativa

Ontem foi aniversário do meu maior pesadelo.

Mesmo tendo passado tanto tempo nunca me esqueci da afronta pela qual passei.

Estava a Menininha doente quando o pai foi até Ele e pediu que a curasse.

Ele que ocupado estava continuou cuidando de seus afazeres.

Daqui a pouco os empregados chegam com a notícia de que ela não precisava mais de ajuda.

Havia morrido.

Ponto para mim.

E Ele, com a maior tranquilidade, fala para o pai acalmar-se.

Vai lá e traz a menina à vida.

Como assim?

Desde que comecei nesse jogo nunca um ponto me tinha sido tirado.

Desde então passei a acompanha-lo mais de perto.

Outro dia, enquanto caminhava, Ele se depara com um cortejo fúnebre.

Eu já tinha computado mais aquele ponto e já estava em busca de outros quando eles se encontraram.

Consolou a mãe daquele que não mais respirava e falou com o garoto.

De um segundo para o outro, ele começou a falar.

Eu, que não sou acostumada a ter gol anulado,  queria ver o fim daquele, que agora me desafiava de maneira recorrente.

O tempo passou e eu até já estava mais tranquila quando o encontrei chorando à beira de um túmulo.

Logo vi que aquilo não iria prestar.

Ele mandou que aquele  fosse aberto.

Como assim?

Chamou seu amigo que já estava lá há quatro dias e o cara veio. Todo enrolado em panos como fora ali colocado.

Mas veio .

Minha revolta só aumentava e o único pensamento que eu tinha era que Ele deveria ser levado por mim.

No dia em que isso acontecesse, eu não mais teria problemas.

E esse dia chegou.

Fiquei deveras aliviada quando o tomei em meus braços.

A brincadeira de perde e ganha havia enfim terminado.

Passados três dias, um terremoto.

Quando isso acontece, recebo centenas, milhares de pontos de uma só vez.

Não nesse.

Após a Terra sacudir,  Ele veio de onde estivera com uma beleza e majestade nunca antes vista.

Não só veio como trouxe alguns de seus amigos que já eram meus.

Isso tem muito, muito tempo.

Mesmo assim, a cada ano nessa época, eu me recordo.

É que Ele disse que um dia irá virar o placar em definitivo.

Os que nEle creem se alegram.

Eu tenho medo.

Vivi Antunes é ajuntadora de letrinhas e assim o faz às segundas, quartas e sextas no www.viviantunes.com.br

 

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *