Escoteiros realizam arrecadação de lixo eletrônico

Rodrigo-2.jpg

RodrigoBrzezinski, Presidente do Grupo Escoteiro de Pinhão (Foto: Elis Carraro/Fatos do Iguaçu

Elis Carraro – jornalista do Fatos do Iguaçu

O grupo criou uma campanha de conscientização para o tema

Já falamos em outras edições do jornal a respeito do problema, ou melhor, os problemas causados pelo lixo mal descartado. O vilão em pauta agora é o lixo eletrônico, que causa danos piores ou até maiores que lixo comum. Computadores, celulares, impressoras, rádios, TVS, pilhas, baterias, entre outros eletrônicos são destinados de forma indevida na natureza quando não possuem mais utilidade.

Segundo dados do Pnuma, Programa da ONU para o Meio Ambiente, aproximadamente 40 milhões de toneladas de lixo eletrônico são produzidos em todo o mundo. Entre os países mais geradores de resíduos, está o Brasil, que a cada ano descarta cerca de 97 mil toneladas métricas de computadores; 2,2 mil toneladas de celulares; 17,2 mil toneladas de impressoras.

Mas, como fazer o descarte correto e reutilização desses resíduos? O certo seria, para evitar a contaminação e poluição do solo, água e consequentemente o meio ambiente, fazer o descarte de lixo eletrônico em locais apropriados como por exemplo, empresas e cooperativas que atuam na área de reciclagem. Já os celulares e suas baterias podem ser entregues nas empresas de telefonia celular. Elas têm o dever de encaminhar estes resíduos de forma que não provoquem danos ao meio ambiente.

Se o equipamento não está sendo usado pelo dono, mas ainda funciona, pode ser doado para entidades sociais que atuam na área de inclusão digital ou para pessoas que desejem usar o equipamento. Além de não contaminar o meio ambiente, o ato ajudará pessoas que precisam.

Por isso, o Grupo de Escoteiro Pinhão – GEP criou uma parceria com a SUC-Ambientel, localizada na cidade de Guarapuava, para melhorar a prestação de serviços no sentido ambiental em Pinhão. O GEP tem como um dos objetivos, buscar o engajamento das pessoas para prevenir sobre as questões ambientais, bem como conscientizar os moradores a não causar danos ou provocar ameaças ao meio ambiente e dar um destino ao lixo eletrônico, recolhendo-o e repassando à SUC-Ambientel.

Dando o primeiro passo em direção a isso, Rodrigo Brzezinski, presidente do Grupo Escoteiro de Pinhão, optou, juntamente com as crianças e demais integrantes da sociedade civil que se engajaram na causa, pela criação de uma campanha de conscientização para sensibilizar a população quanto à importância do descarte adequado não somente de pilhas e baterias, mas também de outros resíduos sólidos gerados diariamente no município como celulares, placas de computadores, monitores, rádios e TV’s.

“O fato é que já não há tempo para ficarmos de braços cruzados. Uma possível solução é a criação de postos de recolhimento desses materiais. É o que estamos fazendo e dando continuidade aqui em Pinhão no trabalho que a professora, já aposentada, Valquiria Brzezinski começou anos atrás através do Fórum das Associações de Bairros e acabou sendo interrompido por falta de empresas que recebessem esses materiais nocivos. Nós também temos uma parcela de obrigação quanto ao recolhimento destes produtos: Devemos recolher e levá-los aos postos de recebimento ao invés de jogá-los em rios, canais de esgoto ou no lixo comum. Isso é fundamental para nossa saúde, de nossos filhos e netos”, enfatiza Rodrigo.

A arrecadação será feita em uma ação intensiva no dia 23 de setembro em frente ao Banco do Brasil, das 13h às 17h. No entanto, já existem alguns locais que possuem as caixas identificadas: Prefeitura, Secretaria de Obras, Supermercados JM, Nosso Supermercado, Supermercado Econômico, Superpão, OBA Supermercado, e também em algumas Cooperativas de Crédito (Bancos).

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × quatro =