EM QUEM VOTAR EM 2018?

Desencantado mas ainda gostando muito de política; preocupadíssimo com gestão e futuro do nosso querido Paraná e Brasil, no pouco tempo que nos sobra para lazer, descanso, temos ouvido vídeos e feito algumas leituras, sobre os posicionamentos dos interessados em Poder, de esquerda, direita, centro, centro-esquerda, centro-direita, e sobre os presidenciáveis, entre outros, Lula, Bolsonaro, Ciro Gomes, Álvaro Dias, Jorge Dória, Geraldo Alckmin, Marina, Luiza Helena. E até pregações do Movimento Brasil Livre-MBL; Movimento Brasil 200 anos; combate a privilégios de eloquente discursos do Deputado Federal paraibano Pedro Cunha Lima; vídeo do cantor Lenine.

Pelo passado, experiência, competência, inteligência e outros atributos do gênero, votaríamos e apoiaríamos Álvaro Dias (de poucas chances, mas digno de apoio, e paranaense), Alckmin ou Ciro Gomes, este último que tem nos impressionado pela inteligência, preparo, convicções, passado e ficha limpa e ainda que com um ponto fraco de temperamento explosivo, para não dizer pavio curto.

Bolsonoro têm uns aspectos interessantes, principalmente, na área da disciplina, austeridades, segurança pública, combate a criminalidade, defesa da família, mas é de extremos e desfocado em vários problemas nacionais, e ter uma primeira experiência administrativa na Presidência do País, nos parece operação de risco (algo temerário).

Lula, de sorte e conjuntura, presidiu o país em momentos em que a economia mundial esteve bem favorável ao Brasil, teve ações e medidas interessantes, entre as quais, redução da fome e estado de pobreza, mas como arauto de decência, ética, honestidade, decepcionou, e não há como defendê-lo de que não está envolvido até o pescoço, em corrupção, enriquecimentos ilícitos, independentemente de eventuais falhas, em Operações como Mensalão, Petrolão, Lava Jato, em que poucos escapam de esquemas de corrupção que é sistemática e endêmica no País.

Temos convicção, crença, de que mais do que nomes/pessoas, teríamos que atuar e defender princípios como os do LIMPE (legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, eficiência), eficácia, efetividade e outros; ideias, programas de governo, com mais organização, ordem, disciplina, austeridade, com leis melhores e mais justas, de combate implacável e privilégios, injustiças, enriquecimentos ilícitos, corrupção e males do gênero. E que independentemente de nomes e de quem sejam as pessoas eleitas (João ou Maria), os eleitos, atuassem com coerência em cima do que pregaram, e se dispuseram a fazer. E com respeito, sem ataques/ofensas, xingamentos pessoais aos que defendem posicionamentos e ideias diferentes.

Discursos de quase todos os políticos são em regra bonitos, de amor ao povo, bem comum, justiça, mas no Poder e ações, infelizmente as coisas mudam. E são poucos os que têm moral para este tipo de escrito e fala.

 (Francisco Carlos Caldas, advogado, municipalista). E-mail advogadofrancal@yahoo.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − dois =

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: