Dívida de R$ 80 provoca homicídio de mecânico

Retornando às atividades após 15 dias de  férias, o delegado  da Polícia Civil de Pinhão, Dr. Rodrigo Cruz dos Santos recebeu a reportagem do Fatos do Iguaçu  para informar como estão algumas investigações e avaliou que a segurança de Pinhão está em um clima estável.

UM ACIDENTE FATAL

Sobre o fato do jovem Ismael Ianques Valdez, 19 anos, morador no Guarapuavinha, Dr. Rodrigo falou que foi um acidente, que resultou em seu falecimento. “Instauramos inquérito e ouvimos as testemunhas. A situação foi assim: o irmão da vítima e sua esposa chegaram à casa de sua mãe que mencionou que o irmão tinha acabado de sair para caçar, era um hábito dele. Pouco depois eles ouviram um tiro e o irmão foi verificar o que tinha acontecido. Ele encontrou o irmão caído, não tinha ninguém por perto, somente a arma, que estava ao seu lado. Eles o levaram para casa para socorrê-lo. Tudo leva a crer que foi um tiro acidental. Só falta ouvir a mãe da vítima para fechar esta versão”.

COLINA VERDE

Nos últimos dias houve apenas o registro de um homicídio, ocorrido na Rua João Datsko, número 10, Colina Verde,  no dia 14 março. As primeiras informações  davam conta de que nesta data uma pessoa  comunicou a Policia Militar, via 190, que  havia uma pessoa baleada. No local equipe constatou que a vítima identificada como sendo Argemir Basto, 40 anos encontrava-se ferido por um disparo de arma de fogo no abdomem e outro na cabeça.

Segundo o irmão de Argemir, ele estava dentro de sua residência quando chegou um homem de pele branca, com chapéu em um veículo GM/ Monza, amarelo, junto com um rapaz que aparentava ser seu filho. Ao sair  na porta, ele foi atingido pelo disparo de revólver em sua barriga feito pelo homem. O rapaz puxo-o pelo braço e segurou-o,  enquanto era efetuado mais um disparo em sua cabeça. De acordo com a Polícia Civil, possivelmente uma dívida de peças de automóvel que a vitima tinha com o autor do disparo foi o motivo.

Os autores do crime, Acir Justino de Oliveira, autor dos disparos e seus filhos, Dian Lucas de Oliveira e Jean Lucas de Oliveira se apresentaram com seu advogado na sexta-feira, dia 17. “O pai, em sua versão, confessou que ele atirou  na vítima porque  esta o ameaçou com um revolver. Disse que primeiro teria ido até a sua oficina, mas a vítima e seus irmãos teriam tocado ele, dizendo que não pagaria a dívida de R$ 80  que tinha com ele. Depois pediu a Acir que fosse até sua casa para receber a conta.  Acir contou que foi somente um tiro e os filhos não teriam participação nenhuma.  As testemunhas, que foram ouvidas no local, mas ainda não prestaram depoimento na policia civil, disseram naquele momento que ele atirou em Argemir no abdômen e os filhos o seguraram e Acir deu mais um tiro na cabeça”.

E sobre os crimes ocorridos na localidade de Poço Grande,  Dr. Rodrigo mencionou que as investigações estão sendo realizadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 1 =

%d blogueiros gostam disto: