Coomaper premia produtores pela qualidade

A proposta é todo mês premiar três produtores que investiram na qualidade da produção leiteira

O Brasil é o quarto maior produtor mundial de leite, atrás dos Estados Unidos, Índia e China. Dentre os estados brasileiros, os maiores produtores de leite são Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Goiás. No Pinhão, por mês se produz uma média de 800 mil litros de leite, indicando que os agropecuaristas pinhãoenses há tempo vêm investindo na produção de leite e buscando fazer parte desse mercado.

A Coomaper Cooperativa Agrícola Mista de Micro, Pequenos e Médios Produtores Rurais de Pinhão e Região, que hoje tem em torno de 63 sócios, resolveu dar um estímulo aos produtores de leite para que os mesmos invistam na qualidade do produto, criando um concurso.

Edelson era só sorrisos, pois ficou em primeiro lugar produzindo um produto de primeira linha e garantido bons prêmios.

O presidente da Coomaper, Rudinei Zambiasi, explicou que a Vigilância Sanitária determina algumas normas em relação ao leite, há um padrão mínimo de qualidade nacional estabelecido por ela, inclusive que existe um Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade do Leite Cru Refrigerado, no qual estão estabelecidos os requisitos microbiológicos, físicos e químicos que o leite deve atender. Entre estes requisitos destacam-se a Contagem Bacteriana Total (CBT) e a Contagem de Células Somáticas (CCS).

Para que todos os produtores compreendam a importância de se adequarem às normas, pois além de garantir um produto de qualidade ao consumidor, podem garantir um melhor preço à cooperativa com o apoio da Aplepi – Associação dos Produtores de Leite de Pinhão, decidiu premiar mensalmente os produtores que estão no padrão ou abaixo do máximo permitido da contagem bacteriana e de células somáticas.

Rudinei explicou que é muito importante que os produtores se adaptem às normas, pois a partir de 2018, com apoio

Alcione, ficou em 2º lugar, mas saiu faceiro com o que ganhou.

da Alep, Emater e prefeitura, a cooperativa estará industrializando o leite, ou seja, empacotando e fazendo iogurte, agregando mais valor ao produto. “Nós estamos com um projeto pró- rural, e se tudo correr bem, até o inicio do segundo semestre de 2018 estaremos empacotando o leite e

fazendo iogurte aqui no Pinhão. A plataforma da obra já está praticamente concluída e vamos partir para a aquisição dos equipamentos e vamos fazer mais uma obra para o beneficiamento do leite”, explicou o presidente.

O presidente lembrou que o produtor que não se adaptar aos padrões exigidos, logo não poderá mais entregar o leite.

“Por outro lado, o produtor que investe em qualidade sempre encontra mercado para o seu produto e um melhor preço”.

A classificação considerou a soma de CCS (células somáticas) e CBT (contagem baquiteriana) e um controle de mastite, limpeza e higienização  na ordenha, pois  tudo isso indica a qualidade do leite, explicou Rudinei.

Os primeiros produtores a se beneficiarem com a premiação foram Edelson da Costa Lopes, que ficou em primeiro lugar, ganhou um saco de 20 kg de semente de pastagem Brizanta Marandu e um detergente pós dip. Em segundo lugar, foi Alcione Mendes de Oliveira, que

José Neuri ficou em terceiro lugar e ganhou produtos para continuar investindo em qualidade.

ganhou um saco de semente de Aruana e um detergente alcalino de limpeza de ordenha e o produtor José Neuri dos Santos ganhou um saco de semente de pastagem Milheto e um detergente alcalino de ordenha e ficou em terceiro lugar.

Todos os meses a cooperativa premiará três produtores que se dedicarem e investirem  na qualidade do leite, reforçou Rudinei .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − dezoito =

%d blogueiros gostam disto: